Prevenção: vacina do HPV é segura

Recentemente, a vacina do HPV foi assunto em meios de comunicação de todo o Brasil. Com essa preocupação e também enfocando evento adverso associado à vacina ocorrido com adolescente de Fraiburgo, a DIVE/ SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), por meio da Gerência de Vigilância de Doenças Imunopreveníveis e Imunização, emitiu nota atestando a segurança da vacina.

Sobre as notícias divulgadas em redes sociais e demais mídias, estas não têm comprovação científica e podem comprometer o alcance de coberturas vacinais adequadas, deixando meninas suscetíveis à exposição ao HPV, responsável por 70% da ocorrência de casos de câncer de colo no mundo.

Vacina em números

Segundo a DIVE, no Brasil, após a primeira dose da vacina contra HPV, foram notificados 854 eventos (0,02%) de um total de 4.159.335 doses. Destes, 95% foram considerados esperados e sem gravidade. “Como a vacina é produzida sinteticamente, contendo somente o invólucro do vírus do HPV, não haveria como causar as reações apresentadas pelas jovens. Tais efeitos adversos, em um primeiro momento, não guardam relação com a vacina. Pela proteção que oferece contra o câncer de colo de útero e outras doenças provocadas pelos diferentes subtipos do HPV (como as verrugas), a vacina é fundamental”, salienta a ginecologista e obstetra Graziela Gonçalves Porto, da Pró-Vida.

Em SC, constatou-se que, dois meses após receber a vacina contra HPV, a adolescente apresentou sinais de trombose venosa profunda na perna direita, o que levou à suspeita de evento adverso à vacina. A investigação, porém, apontou que ela apresentava fator de risco para ocorrência de trombose (uso recente de anticoncepcional oral em período anterior à vacina).

Por não haver vinculação dos eventos adversos à vacinação, até o momento, não há indicação de suspensão da vacinação contra HPV. No estado, segundo a DIVE, a maioria dos eventos foram casos leves e de boa evolução. A cobertura vacinal na primeira dose foi de 95%.

Pessoas fora da faixa preconizada pelo MS também devem se imunizar

Há mais de 200 subtipos de HPV. Segundo dados do InCa, no Brasil, mais de 90% das mulheres que têm câncer de colo uterino foram antes infectadas pelo HPV. Desenvolvida principalmente a adolescentes que ainda não iniciaram a vida sexual, é indicada para a faixa etária dos nove aos 26 anos, sendo dividida em três doses.

Contudo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também recomenda a vacina às mulheres de até 45 anos. Às pessoas que estejam fora da faixa de proteção preconizada pelo Ministério da Saúde, a rede privada de saúde oferece as vacinas bivalente (que oferece proteção contra os subtipos 16 e 18, que causam o câncer) e quadrivalente (a qual oferece também proteção aos subtipos 6 e 11, que causam o condiloma ou verrugas genitais). A Pró-Vida disponibiliza ambas. “Como o HPV pode também causar câncer de vulva e vagina, mesmo as mulheres que realizaram histerectomia (retirada do útero) devem se imunizar”, pontua Dra. Graziela Porto.

A vacina também é recomendada ao público masculino, já que o vírus do HPV pode causar, dentre outras doenças, câncer peniano e de reto.

Mais informações sobre a vacina do HPV – Central de Vacinas Pró-Vida: 3631-1532

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/09/governo-e-os-medicos-garantem-vacina-contra-hpv-e-segura.html

26
set 2014
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments

Especialidade previne e trata dos transtornos mentais comuns a crianças e jovens

 

  A Psiquiatria da Infância e Adolescência (PIA) é o ramo da Psiquiatria que se ocupa da população que sofra um transtorno mental na faixa dos zero aos 21 anos. Segundo o psiquiatra Joel Feijó, da Clínica Pró-Vida, o sofrimento psíquico nessa fase, muitas vezes não é relatado e nem facilmente observado pelos cuidadores, cabendo ao médico avaliá-lo. Dentre as diversas patologias, destaca-se o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade).

Este é caracterizado por 18 sintomas (quadro). “É prevalente em 6 a 8 % das crianças com idade escolar e persiste em 80% delas na vida adulta. Causa prejuízos significativos ao aprendizado. Se não tratado, pode levar à depressão, baixa autoestima, exclusão escolar, gestação precoce e abuso de substâncias ilícitas”, alerta Dr. Joel.

O diagnóstico e tratamento do transtorno pode melhorar o aprendizado, diminuindo a perda funcional futura.  Imprescindível destacar, portanto, que a “prevenção e o tratamento de transtornos mentais na infância e na adolescência têm impacto concreto no futuro dos jovens”, conclui o psiquiatra Joel Feijó.

 Quadro de sintomas: TDAH

1. Não consegue prestar atenção a detalhes ou comete erros por descuido nos trabalhos da escola.
2. Tem dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades de lazer.
3. Parece não estar ouvindo quando se fala com ele.
4. Não segue instruções até o fim e não conclui tarefas de escola ou obrigações.
5. Tem dificuldade para organizar tarefas e atividades.
6. Evita, não gosta ou se envolve contra a vontade em tarefas que exigem esforço mental prolongado.
7. Perde coisas necessárias para atividades (brinquedos, deveres da escola, etc).
8. Distrai-se com estímulos externos.
9. É esquecido em atividades do dia a dia.
10. Mexe com as mãos ou os pés ou se remexe na cadeira.
11. Sai do lugar na sala de aula ou em outras situações em que deve ficar sentado.
12. Corre de um lado para outro ou sobe nas coisas em horas em que isso é inapropriado.
13. Tem dificuldade em brincar ou envolver-se em atividades de forma calma.
14. Não para ou frequentemente está a “mil por hora”.
15. Fala em excesso.
16. Responde às perguntas antes de elas terem sido terminadas.
17. Não espera sua vez.
18. Interrompe os outros ou se intromete (em conversas/ jogos).

 

 

Prevenção ao câncer de mama, cuidado essencial à mulher

Na atualidade, o câncer de mama é o que mais mata mulheres em todo o país, tendo alta prevalência em todo o mundo. Sobre importância da orientação médica para a prevenção e combate da doença, fala o oncologista e cancerologista cirúrgico Alexandre Nascimento Mateus, da Clínica Pró-Vida.
De acordo com dados do InCa (Instituto do Câncer), o câncer de mama é o que mais acomete mulheres em todo o mundo, e também no Brasil. Nas mulheres, a doença afeta a percepção da sexualidade e da imagem pessoal da mulher. Ele é relativamente raro antes dos 35 anos de idade, mas acima dessa faixa etária sua incidência cresce progressivamente. O câncer de mama mais frequente é o chamado esporádico (ou não-hereditário). Ao contrário do que se pensa, a hereditariedade é fator causador de cerca de somente 5 a 10% dos casos.
A doença também pode acometer homens, e a relação homem/ mulher é de um para cem.
        Diagnóstico – Apesar de o câncer de mama ser facilmente curável se descoberto em sua fase inicial, cerca de 50% dos diagnósticos são feitos tardiamente. A mamografia digital (foto), tendo a ultrassonografia das mamas como complemento, são exames essenciais à prevenção. Deve ser realizada pelas mulheres após os 35 anos, se não houver histórico familiar, haja vista ser na fase entre os 45 e os 60 anos o pico de incidência da doença.

Se, no entanto há histórico de câncer de mama na família, é necessário que a investigação seja feita mais cedo. “Contudo, temos percebido uma incidência cada vez maior em pacientes jovens”, alerta Dr. Alexandre Mateus.

FONTES: www.inca.org.br
BOFF, Ricardo Antônio; WISINTAINER, Francisco (org.). O que quem saber sobre câncer de mama: as 100 perguntas mais frequentes. 3 ed.. Caxias do Sul : Mesa Redonda, 2007.

10
mar 2013
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments

Prevenção: palavra-chave no Carnaval

Em pleno verão, e com a proximidade do Carnaval, não se pode deixar de falar sobre a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis.

Uma recomendação básica refere-se ao uso dos preservativos. Éste deve ser um hábito não somente no Carnaval, ou no verão, mas em todas as épocas do ano para prevenir a AIDS e demais doenças sexualmente transmissíveis. A ideia que se tinha até pouco tempo com relação aos chamados grupos de risco já não mais corresponde à realidade.

     HPV – Na atualidade, uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns é o HPV (vírus do papiloma humano), o qual possui cerca de 120 subtipos. Sobretudo os que causam as verrugas genitais (crista de galo ou condiloma acuminado), se dão por meio do contato sexual com indivíduos infectados. Para prevenir esse mal, a vacina do HPV é disponibilizada em dois tipos. A vacina quadrivalente oferece proteção contra os subtipos 6, 11, 16 e 18. Já a bivalente protege contra os subtipos 16 e 18. A Clínica Pró-Vida disponibiliza ambas.

Sífilis e gonorreia – ainda hoje, há casos de sífilis congênita. Muitos nem sabem que a têm ou tiveram, uma vez que os sintomas, em diversos casos, desaparecem. Somente com o acompanhamento médico é possível detectar e tratar-se adequadamente. Ao perceber a presença de verrugas e outras lesões na região genital, deve-se buscar orientação médica imediatamente. A realização de exames periódicos é outro fator de suma importância na prevenção e combate às DST´s.

Doença do beijo (mononucleose) – Tosse, dor e presença de placas de cor acinzentada na garganta podem ser sintomas da mononucleose, ou doença do beijo, como é popularmente conhecida.  A doença é ocasionada por um vírus transmitido pela saliva, daí sua denominação popular. Se não descoberta precocemente, a mononucleose pode se agravar, aumentando o volume do fígado e do baço. “O ideal é que, ao observar tais sintomas, o indivíduo procure a orientação do infectologista, para descartar a hipótese de ter contraído a doença”, explica a infectologista Mônica Antero Anselmo.

Demais infecções – É essencial também que se fique alerta ao surgimento de outras doenças infecciosas que também têm prevalência. É o caso da leptospirose, doença causada pelo contato do ser humano com a urina de rato, doença cuja incidência cresce em períodos de chuva e enxurradas.

A dengue é também um mal comum à época.  É essencial, portanto, não deixar água parada em pneus, vasos e demais recipientes.

 

08
fev 2013
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments

Fotoproteção deve ser intensificada no verão

Sobre a evolução dos cuidados da pele ao longo dos anos, falam ao blog os dermatologistas Maria Virgínia de Melo Guedes, Mariane Corrêa Fissmer e Luís Gustavo de Ávila, da Pró-Vida.

No final do século XIX e início do século XX, “ser bronzeado denotava que a pessoa era da classe trabalhadora, pois os nobres não tomavam sol. Com o tempo, no entanto, esse padrão se modificou”, afirma Dra. Mariane Fissmer.
Dos anos 1960 em diante, o bronzeado passou a ser associado à saúde. “O que fez com que muitas pessoas abusassem de bronzeadores e soluções perigosas como parafina e Coca-Cola ® eram utilizadas para bronzear, explica Dra. Maria Virgínia Guedes. Pela falta de proteção e o culto exagerado à pele bronzeada, muitos casos de câncer de pele surgiram. Segundo o InCa (Instituto Nacional do Câncer), o câncer de pele não-melanoma é o mais frequente no país.

A fotoproteção algo ainda novo no Brasil, disseminada a partir dos anos 80. Hoje em dia, a recomendação que se faz é que as pessoas utilizem os mais variados meios para se proteger do sol (filtro solar, chapéu, óculos de boa qualidade e roupas, de preferência com fator de proteção) Como a radiação está mais forte, hoje, é preciso que se proteja a pele durante todo o ano. “Além do câncer de pele, o melasma (manchas na pele) é também um problema acarretado pelo sol comum no verão”, alerta Dra. Mariane.
Dr. Luís Gustavo enfatiza os cuidados específicos quando o assunto é a proteção solar visando à prevenção do câncer de pele. Ao comprar um filtro, além do fator de proteção solar (no mínimo 30) é preciso observar o chamado PPD (persistent pigment darkening), que mede a proteção contra os raios UVA (que causam o envelhecimento). A proteção de guarda sóis de pano, chapéus e roupas com proteção solar são recomendações válidas. Das 10 às 16 horas, evitar a exposição solar é fundamental.

07
dez 2012
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments

Semana da Caminhada reuniu cerca de 500 participantes

Reforçar a importância da atividade física para a saúde. Esse foi o objetivo da 13ª Semana da Caminhada, promovida de 26 a 29 de novembro (de segunda a quinta-feira) pela Pró-Vida e seus parceiros (Farmácia Maria Rocha, Ortomed e Faculdade Esucri). Em cada dia da Semana da Caminhada, foram atendidas em média 130 pessoas (de segunda a quinta-feira, em um total de 500 participantes durante os quatro dias).

As atividades do evento ocorreram dem dois pontos: em frente à Pró-Vida (na Avenida Marcolino Martins Cabral) e no quiosque de atividades da clínica próximo ao Farol Shopping. Na tenda principal, os participantes puderam medir a pressão arterial, fazer a oximetria, (exame que percebe se a pessoa está respirando bem) e calcular o IMC (Índice de massa corpórea). Houve distribuição de camisetas, squeezes temáticos e sorteio de bri

ndes.
Durante o evento, foram dadas orientações sobre alimentação saudável e prática de exercícios. Uma das ações-destaque foi organização de grupos de caminhada orientada. Acompanhados de professores e alunos de Educação Física da Esucri, os participantes faziam o trajeto da tenda principal ao quiosque da clínica próximo ao shopping. A Semana da Caminhada é promovida desde 2006.

29
nov 2012
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments

Começa a 13ª Semana da Caminhada

Integração será palavra de ordem da 13ª edição da Semana da Caminhada, promovida de 26 a 29 de novembro (desta segunda a quinta-feira, das 18:30 às 21 horas) pela Clínica Pró-Vida e seus parceiros (Farmácia Maria Rocha, Ortomed e Faculdade Esucri), contando com apoio da Rádio Cidade e Maré Alta. As atividades da Semana da Caminhada vão ocorrer em dois diferentes pontos: em frente à sede da Pró-Vida (na Avenida Marcolino Martins Cabral) e no quiosque de atividades da clínica nas imediações do Farol Shopping.

Na tenda principal, em frente à clínica, os participantes poderão medir a pressão arterial, fazer a oximetria (exame que percebe se a pessoa está respirando bem) e calcular o IMC (Índice de massa corpórea). Haverá distribuição de camisetas e squeezes temáticos e sorteio de brindes.

Caminhada orientada – Durante o evento, os participantes vão receber orientações sobre a importância da alimentação saudável e da atividade física para a promoção e manutenção da saúde. Uma das ações-destaque da Semana é a organização de grupos de caminhada orientada. Neles, os participantes fazem o trajeto da tenda principal ao quiosque de exercícios da clínica, próximo ao Farol Shopping. A Semana da Caminhada é promovida desde 2006 pela Pró-Vida e seus parceiros. Em média 500 pessoas têm participado de cada edição (agora anual).

26
nov 2012
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments

Educação médica continuada -3ª edição: atualização em vacinas foi tema do evento

Nesta quarta-feira, dia 21 de novembro,  no auditório da Associação Empresarial de Tubarão – Acit, foi promovida a 3ª edição da Educação médica continuada, evento promovido pela Pró-Vida para aperfeiçoamento de seu corpo clínico.

Sob o título Atualização em vacinas, o encontro tratou de assuntos como Calendário de vacinação e de novas perspectivas na utilização de vacinas como pneumococo, meningococo e rotavírus. Outros temas correlatos, como vacinas à gestante, vacinas combinadas e as estratégias de controle da coqueluche, foram abordados pelo palestrante, o infectologista pediátrico Aroldo Phromann de Carvalho. No encontro, Dr. Aroldo enfatizou, ainda, a situação atual de vacinas para zoster, dengue e HIV. O infectologista é doutor em Pediatria pela UFSC e Univali e atua no Hospital Infantil Joana de Gusmão.

20
nov 2012
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments

Odontologia – reabilitação oral é sinônimo de saúde e bem-estar

Na semana em que celebramos o Dia do Dentista, é essencial lembrar que um sorriso bonito e saudável incide diretamente na saúde e bem-estar de pessoas de todas as idades. A respeito disso, fala ao blog  o cirurgião dentista e coordenador técnico da Pró-Odonto, Dr. Vinícius Machado.

“Na atualidade, pessoas de ambos os sexos e todas as idades buscam alternativas para ter um sorriso bonito e saudável”, destaca Dr. Vinícius, especialista em próteses.
Por meio de resinas compostas, blocos cerâmicos e facetas laminadas, “é possível substituir de restaurações metálicas antigas, restaurações despigmentadas (que perderam a cor natural), dentes e restaurações desgastados pela idade ou com forma inadequada, por um sorriso saudável”, explica.
Durabilidade – Há algum tempo, era comum ouvir que restaurações brancas não duravam, o que, de acordo com Dr. Vinícius, não é verdade, “pois vai depender do tamanho da restauração. Basicamente quando a restauração vai ficar circundada por dente sadio pode-se restaurar o dente com resina composta. Quando uma cavidade é grande, uma opção resistente e de excelente estética é a instalação das restaurações em porcelana Inlay / Onlay”, recomenda.

28
out 2012
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments

Clínica promove segunda edição da Educação médica continuada

Na semana em que se comemora o Dia do médico (18-10), a Pró-Vida promoverá a segunda edição da Educação médica continuada.

 Será em 20 de outubro próximo (sábado), a partir das oito da manhã no auditório da Associação Comercial e Industrial de Tubarão (ACIT), visando ao constante aprimoramento de seu corpo clínico.
O evento vai contar com a participação de demais profissionais de saúde e estudantes de Medicina.
A Neurologia e a Neuropediatria serão destacadas nesta edição, coordenada pela neurologista Aline Scarlatelli Vieira Lima e o neuropediatra Jaime Lin, da Pró-Vida, que também integram a Liga Acadêmica de Neurofisiologia Clínica e Neuroliga do curso de Medicina da Unisul.
A segunda edição vai contar com palestras de autoridades das especialidades-tema: Dr. Eugênio Grillo, neuropediatra do Hospital Joana de Gusmão e professor de Neurologia infantil da Universidade Federal de Santa Catarina, que falará das epilepsias na infância; Dra. Kátia Lin, doutora em Neurologia pela Universidade Federal de São Paulo e coordenadora do Centro de Pesquisa em Epilepsias em Santa Catarina, que vai abordar a epilepsia na idade adulta e da avaliação inicial do paciente com epilepsia. Já Dr. Charles Kodangeski, neurocirurgião de Curitiba (PR), falará do tratamento cirúrgico das epilepsias de difícil controle.

18
out 2012
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments