Prevenção: palavra-chave no Carnaval

Em pleno verão, e com a proximidade do Carnaval, não se pode deixar de falar sobre a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis.

Uma recomendação básica refere-se ao uso dos preservativos. Éste deve ser um hábito não somente no Carnaval, ou no verão, mas em todas as épocas do ano para prevenir a AIDS e demais doenças sexualmente transmissíveis. A ideia que se tinha até pouco tempo com relação aos chamados grupos de risco já não mais corresponde à realidade.

     HPV – Na atualidade, uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns é o HPV (vírus do papiloma humano), o qual possui cerca de 120 subtipos. Sobretudo os que causam as verrugas genitais (crista de galo ou condiloma acuminado), se dão por meio do contato sexual com indivíduos infectados. Para prevenir esse mal, a vacina do HPV é disponibilizada em dois tipos. A vacina quadrivalente oferece proteção contra os subtipos 6, 11, 16 e 18. Já a bivalente protege contra os subtipos 16 e 18. A Clínica Pró-Vida disponibiliza ambas.

Sífilis e gonorreia – ainda hoje, há casos de sífilis congênita. Muitos nem sabem que a têm ou tiveram, uma vez que os sintomas, em diversos casos, desaparecem. Somente com o acompanhamento médico é possível detectar e tratar-se adequadamente. Ao perceber a presença de verrugas e outras lesões na região genital, deve-se buscar orientação médica imediatamente. A realização de exames periódicos é outro fator de suma importância na prevenção e combate às DST´s.

Doença do beijo (mononucleose) – Tosse, dor e presença de placas de cor acinzentada na garganta podem ser sintomas da mononucleose, ou doença do beijo, como é popularmente conhecida.  A doença é ocasionada por um vírus transmitido pela saliva, daí sua denominação popular. Se não descoberta precocemente, a mononucleose pode se agravar, aumentando o volume do fígado e do baço. “O ideal é que, ao observar tais sintomas, o indivíduo procure a orientação do infectologista, para descartar a hipótese de ter contraído a doença”, explica a infectologista Mônica Antero Anselmo.

Demais infecções – É essencial também que se fique alerta ao surgimento de outras doenças infecciosas que também têm prevalência. É o caso da leptospirose, doença causada pelo contato do ser humano com a urina de rato, doença cuja incidência cresce em períodos de chuva e enxurradas.

A dengue é também um mal comum à época.  É essencial, portanto, não deixar água parada em pneus, vasos e demais recipientes.

 

08
fev 2013
POSTADO POR
POSTADO EM Notícias
COMENTÁRIOS 0 Comments